domingo, 26 de fevereiro de 2017

Um atropelamento que poderia ter sido evitado de três maneiras

É por isso que eu insisto aqui no blog:

Pilotar em excesso de velocidade elimina sua margem de segurança para os imprevistos.
Imagem, vídeo e reportagem: http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2017/02/imagens-flagram-avo-e-neta-sendo-atropeladas-por-moto-no-litoral-de-sp.html

Na hora em que aparece um pedestre atravessando a rua, só dá tempo de cravar o olhar no perigo.

A moto vai para onde você olha — e é por isso que a moto acertou as pedestres em cheio.

Quais seriam as três maneiras de evitar esse atropelamento?

1) Pilotar com margem de segurança, a uma velocidade compatível com o local — você não pode pilotar em velocidade de rodovia em uma rua ou avenida urbana.

2) Prever e estar preparado para situações como essa — sempre antecipar a possibilidade de pedestres aparecerem por trás de veículos bloqueando a visão.

3) Treinar manobras de emergência para aplicá-las automaticamente no reflexo sem precisar pensar.

Um piloto que pratica a pilotagem defensiva manobraria para tentar passar por trás daquelas pessoas.  

Pedestres atravessando a rua de maneira descuidada são imprevistos previsíveis...

Não seja pego nessa armadilha.

Espere pelo inesperado — você nunca sabe quando, mas certamente algum um dia um pedestre tentará atravessar na sua frente.

E não só pedestres podem aparecer de repente: animais domésticos nas cidades e selvagens nas estradas não têm hora para aparecer.

Sua única saída é se precaver e usar o bom senso — você será o único em condição de evitar o atropelamento.

Que este vídeo pelo menos sirva de lição para evitar que você passe por isso.

Muito triste por ter de postar isto em pleno carnaval,

Jeff

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

shineray processada pela honda por uma péssima ideia... na verdade, duas.

Agradeço ao amigo forumeiro viageiro estradeiro WD±40 Cássio dono da Kansas Carol que me avisou sobre a reportagem! O Cássio, não a Carol. A Carol não fala comigo, ela só conversa com a Jezebel. E com o Cássio.

A honda finalmente ganhou a ação por plágio que moveu contra a shineray:
Imagem e reportagem: https://www.noticiasautomotivas.com.br/shineray-e-condenada-a-indenizar-honda-por-copia-de-motocicletas/

Plágio é fruto furto de ideias, é ganhar dinheiro com algo que você não teve o trabalho de criar.

Bem feito para a shineray que em vez de desenvolver um design próprio preferiu copiar o pior projeto da honda sem pagar um tostão para a autora da ideia.

Aliás, ideia de jerico da honda de lançar uma moto com os piscas integrados ao farol, algo vetado pela legislação internacional.
Motor Vehicle Act Regulations - Canadá e outros países — clique na figura ou abra em outra página que aumenta e fica legível. http://www.bclaws.ca/Recon/document/ID/freeside/26_58_01


Piscas integrados ao farol não oferecem segurança aos usuários da moto.


O brilho do farol impossibilita a visualização das setas acionadas.

Faltou bom senso na hora de projetar a moto. Que falta que faz o senhor Soichiro no comando da empresa...

Conforme foi denunciado aqui, a honda retirou esse modelo do mercado depois de um breve período.

E teve a cara de pau de lançar as CG 2013 se vangloriando de que os novos piscas atendiam à legislação...
Denúncia: http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2014/09/uma-modinha-e-milhoes-de-motos.html
Denúncia: http://minhaprimeiramoto.blogspot.com.br/2017/01/a-conclusao-final-que-chegamos.html

"Atualizados, os novos piscas atendem às normas internacionais de iluminação e possuem excelente sinalização." Sério, escreveram isso no site da honda... 

Normas e excelência que os modelos anteriores parecidos com esse modelo chupado aí em cima também não atendem e não possuem.

O curioso é que a shineray terá de indenizar a honda por ter copiado o design, inclusive o malfadado farol com piscas invisíveis por causa da proximidade com o farol aceso.

A honda tirou a moto de linha e matou esse estilo de reestilização porque o não atendimento às normas internacionais estava impossibilitando a venda nos países sérios...

Um modelo como esse não seria homologado por lá.

Homologação é o processo de análise rigorosa que as autoridades competentes fazem para autorizar a venda de veículos minimamente seguros — ou vetar a comercialização de veículos evidentemente inseguros — em um país. Um país sério.

Se o processo de homologação falhasse e permitisse o lançamento desse modelo por lá, teriam sido obrigados a fazer um dos recalls mais vergonhosos da história mundial.

Mas aqui no Brasil a honda homologou, lançou, vendeu pra dedéu, tirou o modelo do mercado sem convocar recall e ficou tudo por isso mesmo...

Problema dos milhões de donos de CG 2009 a 2013 e todas as shineray Max... 

Só podem confiar que os outros NÃO estão vendo sua sinalização.

Se eu fosse a shineray, processava a honda por colocar no mercado um produto com uma falha tão grave de projeto...

Hummm... pensando bem, não haveria como isso acontecer.

Porque eu já começaria não copiando o projeto de ninguém...

Bom carnaval,

Jeff

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Cruzamentos, travessias e motinhos engasgando

Esqueci de comentar na postagem de ontem:

Motociclistas novatos também confiam demais em suas motos.

Se esquecem ou ainda não sabem que motos volta e meia engasgam por vários motivos.

Alguns pilotos só descobrem da pior maneira possível que elas podem falhar na hora em que estão tentando atravessar um cruzamento movimentado ou uma BR.
Imagem meramente ilustrativa e reportagem: http://jornalfatonafoto.com.br/polemica/acidente-envolvendo-carro-e-moto-no-cruzamento-das-ruas-caingangs-e-iporans — Não dizem que foi esse o caso, mas o resultado é sempre o mesmo...


Imagem meramente ilustrativa e reportagem: http://carlsonpessoa.blogspot.com.br/2016/06/motocicleta-e-carro-colidem-em.html — Esse acidente foi causado por inexperiência em frear a moto, mas o resultado é o mesmo.

Motos de pequena cilindrada estão mais sujeitas a esse tipo de ocorrência:

A moto pode apagar justamente ao ser exigida para uma aceleração intensa — aquela com a qual você conta para te livrar de uma encrenca. 

Motores de pequena cilindrada são motores fracos.

Quando exigidos no limite, não aguentam o esforço e desmaiam param de funcionar, simples assim.

Isso é relativamente comum para novatos em saídas em primeira marcha também nos carros, mas nas motos é muito mais fácil de acontecer.

O novato ainda não domina muito bem o quanto pode acelerar e exigir do motor sem o risco de ele apagar, então ainda toma cuidado.

O problema é quando ele pensa que não é mais novato... 

Ele já domina a técnica de aceleração sem deixar o motor morrer, mas não conta com outros fatores próprios da motocicleta.

Na hora em que aposta tudo em uma travessia arriscada, a moto estanca bem na frente do carro.

Justamente na hora em que o motor não podia morrer, ele morre.

Quatro fatores principais colaboram para isso:

1) Por ser pequeno, o motor da moto não conta com reserva de potência e torque — ele já está mais perto do limite de morrer ao ser exigido.

2) Como possuem apenas um cilindro, uma falha momentânea do único cilindro é uma falha momentânea total de todo o motor.

Em baixa velocidade, como não há outros pistões ajudando a manter o motor girando, é mais fácil ele parar completamente do que falhar e voltar a funcionar por si só.

3) Justamente por causa dessa limitação, os motores de motos sofrem muito mais por falta de manutenção adequada. 

Sujeira acumulada no filtro de ar e desgaste dos eletrodos da vela de ignição prejudicam a força da explosão.

Um motor já no limite e que fica impedido de dar 100% do que é capaz está ainda mais propenso a engasgar e morrer de repente quando exigido intensamente.

4) Ao contrário dos carros, a moto se inclina para fazer conversões — e isso é causa de muitas engasgadas que o pessoal não associa causa e efeito.

Causas:

a) Ao se inclinar, basta uma gotinha de água acumulada no fundo do tanque entrar no circuito de combustível do carburador ou da bomba da injeção para a explosão deixar de ocorrer momentaneamente.

Essa água pode entrar no tanque pela vedação desgastada da tampa do tanque de combustível em dias de chuva, ou vir junto com a gasolina que você acabou de abastecer naquele posto não muito confiável...

b) Ao se inclinar, motos carburadas podem apresentar falhas no preenchimento da cuba do carburador.

A cuba precisa estar com o nível correto de combustível para manter um fluxo coerente dentro do carburador.

A pressão com que o combustível chega ao carburador determina a velocidade e a perfeição do enchimento da cuba.

E nas motos carburadas, essa pressão de preenchimento da cuba é determinada pela quantidade (peso) do combustível dentro do tanque.

Essa pressão é aquela que sobra depois conseguir passar pela tela do filtro da torneirinha (que pode estar meio obstruída por sujeira acumulada em anos) e pela mangueirinha — que com o tempo pode se deformar, dobrar e estrangular a passagem de gasolina.

Esse probleminha aparece principalmente quando você está com pouca gasolina no tanque... 

Como desaparece depois do abastecimento, a gasolina leva a culpa e a turma acaba esquecendo até ele acontecer de novo.

E quando volta a acontecer na pior hora, vira um problemão.


São probleminhas que não acontecem quando a moto é nova e que você não espera que venham a acontecer... 

Mas a moto envelhece, as vedações se desgastam, os filtros ficam obstruídos e algumas manias começam a aparecer.

Naquele momento decisivo em que você pede mais gasolina para acelerar, uma pequena gota de água ou bolha de ar / vapor de combustível entra no circuito do carburador / injeção e causa a engasgada do motor.

Essa engasgada imprevista pode ser suficiente para impedir o término de uma travessia arriscada antes da chegada do carro, ônibus ou caminhão.

Não acontece nas motos novas, mas começa a aparecer em motos mais rodadas, quando o motociclista pensa que já conhece tudo da moto — motos adoram causar surpresas.

Essa é mais uma particularidade da mecânica das motos e mais um motivo para você não se arriscar em cruzamentos e travessias sem ter uma boa margem de segurança sobre a margem de segurança.

É claro, manter a manutenção e limpeza dos filtros em dia também é um fator essencial — mas quem faz isso?

Abração,

Jeff

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Sinal de PARE e a sua preferencial

Motociclistas novatos têm uma enorme falta de malícia para passar em cruzamentos:
Imagem e reportagem: http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2017/02/acidente-entre-onibus-da-suzantur-e-moto-deixa-mulher-em-estado-critico.html

Eles acreditam que o pessoal respeita a preferencial e a sinalização de parada obrigatória...
Imagem e reportagem: http://www.jornalpp.com.br/policia/item/85267-motorista-nao-respeita-pare-e-provoca-acidente
Imagem e reportagem: http://www.saocarlosagora.com.br/policia/noticia/2010/09/30/12552/motorista-nao-respeita-pare-e-provoca-acidente-na-santa-paula/
Imagem e reportagem: http://www.votunews.com.br/?p=104909
Imagem e reportagem: http://www.vozdonorte.com.br/portal/sem-categoria/motorista-nao-respeita-sinalizacao-pare-do-cruzamento-e-bate-em-motocicleta/

O desrespeito por motoristas de automóveis é algo previsível que os motociclistas experientes se previnem.

O fato é que o pessoal está acostumado a olhar para ver se vem algum carro sem nem dar uma reduzida...

Ninguém espera ver motos, poucos veem motos, e o resultado é esse:

O motociclista do vídeo só escapou porque fizeram a coisa certa — não deixaram ele se mexer. Se tivessem tentado "socorrer" a vítima levando para o hospital sem os devidos cuidados, ele teria os pulmões perfurados e morreria.
Perdi um grande amigo assim, morreu devido ao "socorro" numa época em que ainda não havia o Resgate.

Além de serem atropelados pelos carros, os motociclistas novatos têm a tendência absurda de entrar na frente e embaixo de ônibus e caminhões...
https://valeindependente.wordpress.com/2015/04/20/caminhao-desrespeita-parada-obrigatoria-e-atropela-motociclista/

Isso acontece porque eles desconhecem um princípio básico:

Caminhões e ônibus não conseguem parar em curta distância.


Você pode estar coberto de razão na sua preferencial, mas isso não vai deter um ônibus / caminhão embalado.

Então, antes de sair atravessando uma via, olhe.

Verifique a proximidade de veículos, especialmente veículos pesados, e avalie se eles estão dando mostras de que irão parar no cruzamento.

Dê um desconto maior para veículos grandes — quanto maior for o caminhão ou ônibus, menor a chance de ele parar ou conseguir parar.

E mesmo que os veículos estejam aparentemente reduzindo a velocidade, isso não é garantia de que eles irão parar:

O MOTORISTA PODE ATÉ REDUZIR A VELOCIDADE, MAS NÃO PERCEBER VOCÊ E SUA MOTO!!!

Você não pode achar que os outros estão pensando a mesma coisa que você, vimos isso na postagem de ontem.

Aí no momento em que você resolve atravessar porque pensou que o cara ia parar, descobre que ele não te viu... fica feia a coisa.
Imagem, vídeo e reportagem: http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2015/09/acidente-entre-onibus-e-moto-deixa-um-morto-em-joao-pessoa.html — No vídeo dessa reportagem, é a moto que cruza a preferencial sem olhar... outro erro absurdo muito comum.  

Então, para o seu bem, ganhe malícia!

As leis de trânsito impediriam 90% dos acidentes.

Mas 90% dos motoristas e motociclistas confiam que um pequeno desrespeito não terá consequências.

As estatísticas de acidentes de trânsito provam que eles estão 100% errados.

Faça parte daqueles 10% que não se jogam na boca do lobo.

Não atravesse um cruzamento despreocupadamente apenas porque a preferencial é sua.

Mas também não pare na preferencial, senão alguém atrás de você te encherá a lata.

Atravesse ligado no fluxo da outra rua e esteja preparado para parar, desviar e até pular fora da moto...
Imagem e reportagem: http://tasabendo.com.br/transito/motociclista-pula-de-moto-para-evitar-o-pior-em-acidente-contra-caminhao/

Porque o pessoal não respeita mesmo a preferencial e o sinal de PARE...

Abração,

Jeff

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O erro de acreditar nos outros

Esta moto está a uma fração de segundo de ser colhida em cheio por um carro em alta velocidade:
Imagem, vídeo e reportagem: http://cgn.uol.com.br/noticia/210216/flagrante-moto-explode-em-acidente-com-morte-na-br-277

O vídeo com o flagrante dramático você assiste neste link. AVISO: Imagens fortes.

Você vê o vídeo e pensa:

O que levou o piloto a se jogar diretamente na frente do motorista?

E eu te respondo...

Foi um erro de avaliação muito comum entre os motociclistas:

Achar que o outro cara tomará as mesmas decisões que você tomaria.

O piloto viu o carro se aproximando na faixa da esquerda e calculou que poderia atravessar em segurança...

O que teria dado certo — se o motorista não tivesse mudado para a faixa da direita a fim de desviar da moto.


Se o motorista não tivesse alterado a trajetória, teria sido apenas uma travessia ousada feita pelo motociclista.

Uma típica decisão tomada por um motociclista que conhece a dificuldade de atravessar uma via expressa nesses matadouros que o pessoal faz de conta que são retornos seguros pagos pelos nossos pedágios nas nossas BR.

O motorista tomou uma decisão estúpida ao mudar de faixa?

Sim, resultou na morte do piloto e em ferimentos muito graves no garupa.

Então porque o motorista tomou essa decisão?

Por causa do grande erro do piloto da moto — não imaginar que o motorista pudesse se assustar com a manobra, e muito menos que poderia estar alcoolizado.

Ver uma moto cruzando sua frente é um grande susto para o motorista não acostumado com a agilidade das motos.

Ele pode ter tomado a decisão de desviar pelo susto de pensar que a moto não teria tamanha capacidade de aceleração.

Mas a conclusão de que possivelmente ele estivesse alcoolizado vem da sua negativa em fazer o teste do bafômetro.

Então aprenda mais esse macete do trânsito:

Não espere que os outros condutores (motoristas, motociclistas) façam aquilo que você espera que eles façam.

Se isso funcionasse, acidentes não aconteceriam nunca.

Teria sido muito mais sábio e prudente perder alguns segundos ou poucos minutos, e ter esperado uma brecha segura em vez de tentar cruzar a via.

A expectativa de que o carro não mudaria de faixa se provou errada, nada mais a fazer. 

Motos não perdoam decisões erradas.

No trânsito as decisões são tomadas em frações de segundo, e nem sempre a decisão mais rápida é a mais acertada.

E também não podemos jogar com a sorte de imaginar as decisões dos outros.

Nem sempre eles estão na sua melhor capacidade de julgamento.

Então o mais prudente é não se envolver em situações arriscadas.

É outra malícia que o motociclista novato precisa desenvolver para sobreviver.

Abração,

Jeff

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A realidade da estrada

Você imagina a causa deste acidente?
Imagem e reportagem: http://wh3.com.br/liderfm/noticia/154974/morre-motoqueiro-maravilhense-em-acidente-na-br-282.html

Apesar de não estar em alta velocidade — como se percebe pelo dano relativamente pequeno da moto — o motociclista morreu por se chocar contra o guard-rail.

E o que causou essa morte foi um defeito na pista:
Imagem e reportagem: http://wh3.com.br/liderfm/noticia/154974/morre-motoqueiro-maravilhense-em-acidente-na-br-282.html

Caminhões com excesso de carga causam afundamento do asfalto, criando sulcos e cristas ao longo da estrada que podem desequilibrar repentinamente a moto.
Imagem e reportagem: http://sigivilares.com.br/index.php?pag=noticia&id=34952

O blog do Sigi Vilares relata três acidentes de moto somente nas 24 horas antes da reportagem nesse trecho da pista da BR-242... não é para menos.

Acidentes por irregularidades no asfalto são muito comuns, mas nem sempre são noticiados de maneira que permita descobrir que a culpa do acidente não foi do motociclista:
Imagem e reportagem: http://www.folharegiao.com.br/regiao/pol%C3%ADcia/policial-militar-morre-em-acidente-de-moto-na-sp-310-em-matao-sp

O repórter Alex Gasoni notou a semelhança desse caso que vitimou o PM com outro que havia acontecido no mesmo local alguns dias antes:
Reportagem: http://www.noticiarioararaquaraa.com.br/2016/11/policial-militar-morre-apos-sofrer.html

Realmente, o acidente foi muito parecido com aquele e também com o primeiro...
Imagem e reportagem: http://www.noticiarioararaquaraa.com.br/2016/10/jovem-de-taquaritinga-sofre-grave.html

Este rapaz Alan Carlos quase morreu aos 20 anos pilotando a moto zero km que havia acabado de comprar... primeiro passeio com ela... talvez sua primeira moto... 

Um acidente extremamente grave que somente não foi fatal graças ao trabalho do pessoal do resgate e amigos

Foi fatal sim, o Alan morreu no hospital no intervalo entre as duas reportagens.

O primeiro acidente aconteceu durante o dia e os outros foram à noite, quando irregularidades como essas são mais difíceis de perceber.

Ninguém estava em flagrante excesso de velocidade, é só ver como as motos estão inteiras — guard-rails são assassinos de motociclistas, e atropelamentos são quase sempre fatais.

Eles caíram vítimas de armadilhas das estradas causadas por espertalhões que não estão nem aí com os limites de carga máxima de seus caminhões.

E também pela ausência de fiscalização de cargas e pela má conservação das rodovias.

Defeitos na pista como esses são extremamente comuns e passam ignorados porque não afetam automóveis...
Imagem e reportagem: http://wh3.com.br/liderfm/noticia/154974/morre-motoqueiro-maravilhense-em-acidente-na-br-282.html

Mas são potencialmente fatais para nós motociclistas — qualquer esforço sobre a lateral do pneu causa mudanças bruscas da trajetória da moto, não dá tempo de frear antes de chegar no guard-rail.

E chega a ser irônico que até mesmo os trabalhos para conserto da pista sejam feitos com a remoção do asfalto, criando um degrau e outra armadilha para nós motociclistas:
Imagem e reportagem: http://blogbraga.com.br/Noticia/lem-asfalto-irregular-provoca-queda-de-um-motociclista-na-br-020-em-luis-eduardo-magalhaes/21354

Esse é mais um dos motivos para você evitar pilotar à noite e nunca pilotar acima do limite recomendado nas rodovias.

Quanto mais baixa sua velocidade, maiores suas chances de recuperar o controle antes de chegar no matadouro do guard-rail.

Pilote não somente atento ao trânsito, mas também à qualidade do asfalto por onde você passa.

O maior erro que um dono de moto pode cometer é achar que pode sair por esse Brasilzão afora pilotando a moto como se estivesse em um autódromo.

Nossas estradas estão muito longe de ter o mínimo de qualidade para uma pilotagem mesmo em velocidade normal, o que dirá abusando dela.
Reportagem: http://www.triangulofm.com.br/noticias/noticia.php?id=1472#.VWV8RNLBzGc

E procurando uma boa imagem para ilustrar o assunto, encontrei essa aqui de cima que foi usada na postagem Asfalto ruim exige cuidado, também falando sobre o mesmo assunto, bem parecida com esta, mas sem relatos de acidentes.

Conhecer o drama de colegas motociclistas como o Dilceu, o Diogo, o jovem Alan Carlos... saber seus nomes dá uma feição humana para a tragédia que são nossas rodovias.

As autoridades precisam saber que nós estamos morrendo por conta desse descaso com a malha viária.

Já passou da hora de dar um basta nessa vergonha criminosa!

Agradeço imensamente ao leitor Patrick Lemos que enviou o link da primeira reportagem e possibilitou iniciar a pesquisa para estes outros casos de acidentes causados por irregularidades no asfalto.

Um abraço,

Jeff

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Pedágios são perigosos

Além do risco de escorregar nas poças de óleo ao frear a moto e ao por o pé no chão lembrado pelo amigo Daniel, nunca se distraia do que está acontecendo à sua volta, ainda mais em pedágios.

Pedágios são situações anormais — veículos transitando a 100 km/h são obrigados a parar completamente.

Isso cria uma situação potencialmente perigosa com grande chance de alguma coisa dar errado.

Caminhoneiros e outros motoristas gostam de deixar para frear em cima da hora apenas para descobrir que o freio não vai conseguir segurar o veículo...

Sobra para quem estiver na frente.

Então redobre a atenção nos pedágios, fique atento a quem vem lá atrás e se prepare para sair fora ou pular fora antes que a encrenca chegue até você.

Obrigado ao leitor Beto, verdadeiro irmão meu, que enviou mais este vídeo.

PS: Não deixe de ler esta outra postagem aqui do blog sobre outros perigos dos pedágios.

Um abraço,


Jeff