segunda-feira, 29 de maio de 2017

O acidente da moto que explodiu e o piloto pegou fogo

O vídeo da moto que explode após bater no caminhão ensina muita coisa. A propósito, o piloto não se machucou nem se queimou — muito — nesse acidente.

Primeiro, mostra como a falta de reação típica do novato despreparado para o trânsito complica demais a situação:


Ao ver o caminhão cruzando sua frente, o piloto novato não tenta parar a moto — ele congela com o susto e não aplica os freios.

Instintivamente tenta parar a moto com os pés, como se estivesse de bicicleta.

O piloto fixa o olhar na cabine, provavelmente no motorista do caminhão, e vai de encontro ao desastre.

Nem percebe que atrás do caminhão havia espaço para desviar a moto e evitar o impacto — se tivesse aprendido a realmente dominar a moto.

Faltou estar preparado mentalmente para a possibilidade de que alguém cruzasse sua frente.

Faltou traçar mentalmente a todo momento alternativas para escapar do perigo.

E faltou domínio da moto, que é aquela capacidade de fazer a moto ir para onde vai o pensamento por puro reflexo.

Tudo isso se chama pilotagem defensiva.

Você pilota imaginando que é invisível e que sempre poderão entrar na sua frente.

Está sempre monitorando tudo que acontece buscando alternativas.

Quando acontece um imprevisto, está condicionado a não olhar para a encrenca, mas para a salvação.

E já treinou bastante com sua moto para saber que ambos são capazes de fazer manobras e frenagens bruscas sem cair, porque a prática traz a perfeição.

Com as "lições" da motoescola ninguém aprende, por isso você precisa treinar manobras de emergência por conta própria.

E memorizar as melhores alternativas para escapar do perigo:

Tentar passar por trás de alguém que cruza sua frente é preferível a tentar passar pela frente: 

Ele certamente não dará ré, mas é quase certeza que você avaliará o espaço à frente do veículo sem levar em conta o movimento dele.

O cérebro não está programado para agir considerando movimentos rápidos como os do trânsito.

Então se programe para evitar agir instintivamente a seu favor em situações como essa.

E não se esqueça de que o cara cruzando na sua frente poderá parar de repente no susto... não conte com um espaço futuro.

É complicado, cada caso é um caso.

Mas se você sempre considerar suas alternativas em todas as situações — sem perder a concentração no trânsito — você terá melhores chances de escapar de um acidente.

Pode acreditar, eu escapei de muitas situações como essa por conta do curso de pilotagem defensiva que fiz com minha primeira moto. Mas naquela época não existia gopro...

O vídeo também é uma ótima demonstração de como a técnica de deitar e rolar pode ser eficiente para apagar o fogo nas roupas.

Ele agiu daquele modo porque lá na terra dele essa técnica é ensinada para as crianças na escola.

Não porque elas saiam andando de moto, mas porque acidentes domésticos acontecem.

Caso você ainda não tenha visto, aí vai o vídeo de sempre:


Crianças, não tentem fazer isso em casa... o cara estava com isolantes por baixo da roupa e ainda se queimou.

Note que se o piloto estivesse encharcado de gasolina, não teria sido tão fácil apagar o fogo.

Sabe de uma coisa?

Melhor treinar e praticar a pilotagem defensiva para nunca ter de usar essa técnica de deitar e rolar...

Um abraço,

Jeff

quinta-feira, 25 de maio de 2017

renault comete pequeno engano no manual, mas agora tá serto

Durante a pesquisa sobre o caso da bmw das postagens anteriores, tropecei neste caso aqui da renault:
Postagem do Olho no Óleo: http://www.olhonooleo.com/single-post/2014/10/17/Manual-que-engana

O vídeo mencionado é este aqui embaixo:


Pois é, as concessionárias estavam usando aqui no Brasil um óleo que não é recomendado no manual do proprietário.

A renault informou que o "erro" estava no manual, e não na prática das concessionárias:
Manual de proprietário renault Master mostrado no vídeo da postagem do Olho no Óleo: http://www.olhonooleo.com/single-post/2014/10/17/Manual-que-engana

O bizarro é a renault usar o óleo 5W-30 na moita e, flagrada na contradição, tentar convencer os proprietários de que o manual apresenta um erro...

Um "erro" que fazia os motores ficarem menos barulhentos, rodarem com maior suavidade e terem maior vida útil...

Por todos os critérios aceitos universalmente, climas quentes exigem óleos de maior viscosidade.

Os engenheiros determinaram o uso de óleo SAE 5W-40 ou 10W-40, mas o departamento comercial responsável pelas concessionárias divulga que o manual está errado e determina o uso de um óleo de viscosidade inferior...

As montadoras padronizam óleos cada vez mais finos em todo o mundo, jogando fora décadas de conhecimento técnico e empírico sobre a lubrificação de motores.

Afinal, motores e carros que duram décadas não movimentam as vendas das concessionárias.

As empresas estão cada vez mais empenhadas em convencer o mercado de que o óleo fino é a melhor coisa que existe para o seu carro ou moto popular com motor "moderno de alto desempenho".

Curiosamente, os motores modernos de alto desempenho de carros não populares como os bmw que vimos nas postagens anteriores usam óleo 10W-60.

E 10W-60 também é o óleo usado pelo motor do bugatti Veyron, talvez o carro com motor de melhor desempenho da atualidade:
Imagem: http://www.bugatti.com/veyron/veyron-164-grand-sport-vitesse/

E não só o bugatti Veyron, mas outros motores de alto desempenho respeitáveis como os da ferrari, audi, aston martin e koenigsegg.
Óleo 10W-60: http://www.castrol.com/en_gb/united-kingdom/car-engine-oil/engine-oil-brands/castrol-edge/edge-product-range/supercar.html

Mas o marketing é que óleo fino é "o único que protege melhor e garante maior vida útil para seu motor".

Engraçado que não é isso que a gente vê na prática, né?

Não tem graça nenhuma quando o motor da sua moto ou do seu carro ferve e abre o bico com uma quilometragem estupidamente baixa...

E você descobre que a garantia não cobre seu "mau uso", apesar de todas as revisões feitas na concessionária...

Enganos em manuais de proprietários são comuns há décadas — com frequência absurda nas páginas de especificação de viscosidade e nível do óleo.

Você viu isso nas últimas três postagens, fora muitas outras espalhadas pelo blog.

É impressionante como os fabricantes tomam tanto cuidado para fornecer informações confiáveis...

E acabam cometendo enganos tão graves justamente quanto à questão do óleo vital para a vida útil dos motores.

Enganos muito, muito difíceis de entender e justificar.

Quer ver um exemplo bizarro que descobri esta semana?

Você sempre aprendeu que a vareta medidora é lida assim, não foi?
Imagem: Internet, legendas traduzidas por mim. — A própria indicação "muito cheio" é enganosa.

O óleo precisa ser mantido dentro da faixa segura para evitar que o motor sofra por falta ou excesso de óleo.

Isso é o básico do básico.

Mas agora veja o exemplo deste outro manual de um veículo recente — que não é da renault, mas está aqui para ilustrar esses "enganos" bizarros que aparecem em manuais de proprietário:

O que você pensa quando encontra um manual de proprietário que diz que o óleo deve ser mantido abaixo da marca de nível mínimo da vareta medidora? 
Imagem: Enviada por um amigo, legendas traduzidas por mim.

Notou a chave apontando a faixa segura abaixo da faixa segura?

Eu diria que isso não é engano — é muita cara de pau. 

O texto diz que o nível deve ser mantido dentro da faixa de segurança, mas mostra uma discordância entre a faixa segura da vareta e a indicação.

Curiosamente, esses enganos nunca acontecem para induzir à colocação de mais óleo, apenas para manter o motor morrendo de sede.

Qualquer argumentação para justificar isso é insustentável.

Alguém poderá dizer "vai ver que a indicação da vareta estava errada e eles corrigiram no desenho do manual"...

E aí eu pergunto se tamanha incompetência para projetar a vareta medidora não se refletiria na qualidade do projeto do motor.

"Vai ver que eles aproveitaram a vareta de outro modelo..."

E aí eu pergunto se tamanha economia para definir a vareta medidora não se refletiria na qualidade do produto como um todo.

Visto por qualquer ângulo, um tremendo tiro no pé.

Se for questionada, o que a empresa dirá?

Aposto que se sairá com a desculpa de que foi apenas um "engano do manual", como fez a renault.

Afinal, enganos acontecem, não é?

Enquanto isso, nossos motores duram cada vez menos.

O povo aceitará e ficará tudo por isso mesmo, cada um cuidando do seu prejuízo.

Tem sido assim há décadas.

Um abraço,

Jeff

terça-feira, 23 de maio de 2017

Erros e acertos da postagem da bmw

Errei e estou muito cansado, tive uma overdose de bmw na última semana, mas não vou adiar a publicação desta "retratação". 

Ou melhor, uma explicação do erro cometido na postagem anterior.

O cansaço é grande e o raciocínio pode estar confuso, peço sua compreensão. 

E se por acaso você encontrar algum erro nesta postagem, por favor, só me avise quando eu voltar das férias... São novamente quatro da manhã de mais uma de muitas noites mal dormidas...

Admito, eu errei. 

Ainda bem que errei!

Porque os esclarecimentos que recebi do leitor Victor Garcia permitiram confirmar com mais detalhes a denúncia de ontem.

Sugiro ler a discussão técnica nos comentários da postagem anterior, eles lançam muita informação que optei por não repetir na totalidade aqui, já que a postagem precisa ser mais condensada.

Explicando como errei da maneira que errei (mas não errei totalmente):

A página de manuais da bmw que consultei é esta aqui:

Página com links para manuais proprietário bmw: https://www.bmwsections.com/ 

Eu pesquisei nas seções em amarelo, que contêm tanto motores de alto desempenho quanto desempenho normal para as séries 3, 5, 6 e Z8.

Mas todos os motores de alto desempenho também estão agrupados na pasta destacada em vermelho.

Você também pode chegar neles pelo caminho amarelo, desde que perceba a letra M antes do número do modelo. 

Experimente, depois me diga que não ficou confuso.

O fato é que  bmw possui manuais específicos para os modelos equipados com os motores de alto desempenho, mas nem todos os exemplos que peguei coincidiram com esses modelos... muito azar.

Por exemplo, peguei exemplos corretos para série M3 de 2001, e a bmw trocou o óleo desses motores justamente a partir do ano 2002.

Se eu tivesse escolhido também um manual do ano 2002, teria o exemplo perfeito e não haveria confusão...

Como vimos ontem, estas são as recomendações para o motor E46 de alto desempenho de 333 hp usado a partir do modelo BMW M3 Conversível 2001:
Manual do modelo BMW M3 Convertible 2001: https://www.bmwsections.com/docs/m/

E estas são as recomendações para o motor E46 de alto desempenho de 333 hp usado o mesmo modelo bmw M3 Conversível 2002:
Manual do modelo BMW M3 Convertible 2002: https://www.bmwsections.com/docs/m/

Nos modelos a partir de 2002 com o mesmo motor I6 de 333 hp  do ano anterior, a bmw passou a recomendar o uso "preferencial" do óleo 10W-60...

Ou o uso alternativo de óleo 5W-40 ou 10W-40 no mesmo motor — sem falar nada sobre critérios de adequação em função da temperatura ambiente.

A decisão fica ao gosto do freguês.

Era tanta informação que tive de fazer tabelas para não ficar perdido.

Esta é dos manuais da Série M3, aquela que precisou trocar o tipo do óleo a fim de parar de estourar motor:
Os modelos M3 realmente foram lançados com motor I6 de 333 hp usando óleo 5W-30 e 5W40, e com os motores dando problemas a bmw alterou a especificação do óleo para 10W-60.

Note que a bmw manteve os óleos que causavam problema como "alternativas" aceitáveis. 

Por que "aceitável"?

Por que quem usa o carro sem exigir muito, só vai ter problemas em curto prazo se fizer uma viagem longa por regiões quentes, ou usar o carro em alta velocidade continuamente.

Para o pacato cidadão, o carro durará um ou dois anos sem problemas, tempo suficiente para ele trocar de modelo e o abacaxi estourar no colo do segundo proprietário.

E aí ninguém é o pai da criança...

Isso confirma plenamente a denúncia e a argumentação de que óleos de maior viscosidade conseguem ser usados em qualquer motor, desde que ela seja adequada para a temperatura ambiente.

No Brasil, felizmente quase não temos essa preocupação com clima frio.

Onde errei feio na postagem de ontem?

Os dados que peguei para a série M5 na postagem de ontem estavam errados — usei os dados da série 5, que usa motores 6 em linha mais tranquilos, sem turbo.

Os dados corretos para a série M5 são estes:
E uma tabela resumida com motores da Série 5 comum é esta:
Note que os motores 6 em linha de baixo desempenho são basicamente os mesmos usdos na Série M3, exceto pelas modificações no cabeçote e adoção do turbocompressor e algumas outras.

Naquilo que interessa para esta discussão, a parte dos dutos de óleo finos demais para aguentar óleo mais grosso, e mancais de bronzinas, a mudança do óleo nos mesmos motores de 2001 para 2002 provou que ela é plenamente viável.

Motores não estouram por usar óleo mais viscoso, a menos que ele seja viscoso demais para a temperatura predominante naquela região.

Mas há tolerâncias e você é capaz de perceber se o seu motor está sofrendo com um óleo novo mais viscoso.

Ao contrário do que ocorre com o óleo fino, onde os proprietários reclamam e as concessionárias insistem que é assim mesmo até que o proprietário estoure o motor...

Voltando à bmw, seus motores V8 sempre usaram o óleo 5W-30 ou 5W-40 — então errei em falar que eles usavam óleo 10W-60 por parte da fabricante — quem descobriu que eles rodavam melhor com esse óleo foram aqueles proprietários no fórum.

Falando especificamente do 10W-60 para os motores V10, as instruções para o uso desse óleo são um pouco confusas.
Manual de proprietário: bmw M5 Sedan 2007 https://www.bmwsections.com/docs/m/

O manual fala que o motor deve usar óleo 10W-60, mas se ele não estiver disponível para repor pequenas quantidades, a complementação poderá ser feita alternativamente com óleos menos viscosos.

O fundamental é não deixar o óleo muito baixo no cárter — é preferível misturar com outro tipo de óleo do que deixar o motor fundir com a preocupação de manter a pureza do óleo.

Então esses outros óleos menos viscosos são apenas uma alternativa para repor a quantidade consumida — não está escrito no manual que você pode usar óleo SAE 10W-40, SAE 5W-50 ou SAE 10W-50.

Mas uma olhada apressada pode dar essa impressão, já que a viscosidade principal está no pé da página e as alternativas estão em evidência no alto da página.

Quem olha somente a segunda coluna e não lê o cabeçalho pode cometer um erro de escolha, mas aí não será culpa da bmw.

E finalmente, o manual dos modelos Série M6: 
Então a afirmação que eu fiz de que a bmw não estava passando a informação do óleo correto em relação ao 10W-60 para seus motores estava errada, peço desculpas aos leitores.

Este foi o principal erro que cometi:

A bmw sempre usou motores V8 e V10 tanto na série 5 quanto na série M5, sendo que nunca recomendou óleo 10W-60 nos motores V8, mas apenas nos motores V10.

Os motores V8 usam óleo menos viscoso, os V10 sempre usaram óleo 10W-60... mas o site da bmw sobre óleos recomendados não faz distinção:
Óleos originais bmw: http://www.bmw.com.br/pt/topics/offers-and-services1/personal-services/oil_service.html

O site fala somente que o óleo 10W-60 é o correto para os M3 fabricados até dezembro de 2013, e os M5, M6 e Z8 fabricados até dezembro de 2010.

E isso explica porque havia um adesivo debaixo do capô dos proprietários americanos recomendando o uso do óleo 5W-30:

Não era uma pegadinha da fabricante bmw — não no sentido de ser um ato de má-fé.

É simplesmente a prática atual da indústria de trabalhar com óleos cada vez menos viscosos para obter índices de consumo e supostamente emissões que não seriam obtidos se nossos motores tivessem longa vida útil.

Aí é questão de discutir se é verdade que abreviar a vida útil do motor irá contribuir para poluir o ambiente em maior ou menor escala.

Eu penso que a decisão das indústrias e governos é ilógica, irracional e interesseira. 

Os proprietários que discutiram o uso de óleo 10W-60 em motores V8 de seus séries M5 nos EUA simplesmente constataram um fato:

O motor funciona melhor com óleo mais viscoso dentro de certos limites e ao que tudo indica o 10W-60 está dentro desses limites — assim como a adoção do óleo 15W-50 para os motores das motos F800 resolveu um problema e uma reclamação comum dos proprietários.

Por que essa solução não é universalizada?

A bmw precisaria explicar porque os proprietários chegam a conclusões que os engenheiros deles não chegam...

A bmw do Brasil precisa explicar qual o motivo de induzir seus clientes a consumir o óleo 5W-30 de viscosidade inadequada para nosso clima tropical — quando deveria estar induzindo ao uso de pelo menos uma ou duas categorias acima, 10W-40 ou 15W-50.

E se o 10W-60 se deu bem no hemisfério norte, provavelmente na região da Califórnia que é bem próxima em temperaturas de nosso Brasil, por que não seria melhor para nós por aqui?

E não só para os veículos série M, mas também para os com motores de menor potência como os bmw 120i e 320i da reportagem da 4 Rodas citada ontem.

A bmw precisa explicar o motivo pelo qual o critério de adaptação da viscosidade à temperatura local que valia em 1995 não vale mais hoje:
Manual de proprietário de veículo bmw 1995, nem me lembro mais onde encontrei... Mas é uma beleza de tabela para mostrar como usar óleo 5W-30 (e 5W-20 ou 0W-20 aqui no Brasil é uma tremenda forçação de barra...

Não me venha com a desculpa de que "os óleos evoluíram" — isso é desculpa pra boi dormir.

Os óleos evoluíram em aditivos, mas as leis da Física não mudaram.

As leis que regem a formação dos filmes de óleo dos mancais hidrodinâmicos continuam as mesmas — óleo mágico que anula essa necessidade de adaptação à temperatura ambiente é somente marketing.

Um óleo que era bom para temperaturas abaixo de zero grau Celsius como o 5W-30 não pode ser ideal para temperaturas quarenta graus acima disso. 

Questão de lógica.

A perda de viscosidade em função da temperatura dos óleos multiviscosos pode ser menor nos dias de hoje, mas continua existindo.

Basta ver a durabilidade dos motores há quarenta anos e atualmente. 

Mas como a bucha quase sempre explode no colo do segundo proprietário, ninguém se sente no direito de reclamar, afinal ninguém sabe como o primeiro dono tratou o carro...

A resposta é fácil — ele fez todas as revisões em concessionária e usou o óleo recomendado pela fábrica...

Só fica chato para os fabricantes quando a bucha começa a estourar na mão dos primeiros proprietários, aí a imagem da empresa pode ser abalada... 

E nada disso precisaria acontecer, nenhum proprietário precisaria passar por situações estressantes, perigosas e, no caso das motos, potencialmente mortais — bastava usar o óleo correto definido por critérios de engenharia, e não de marketing.

A bmw precisa explicar por que o manual das Séries M3, M5, M6 e Z8 diz que a viscosidade 5W-40 também é aceitável, mas seu site induz o uso de óleo 5W-30.

Outra coisa que a bmw precisa explicar é o motivo de recomendar em seu site o óleo 10W-60 para TODOS os motores da Série M3 até 2012 quando ele não era recomendado no ano de 2001 — ah, não precisa não, foi por causa das bronzinas tão mal faladas.

Mas ainda falta a bmw explicar porque o manual do M3 Coupe 2012 com o mesmo motor 6 em linha que já usava o 10W-60 voltou a recomendar óleo 0W-40, 0W-30, 5W-40 e 5W-30:
Manual de proprietário: bmw M3 Coupe 2012 https://www.bmwsections.com/docs/m/

E lembrando, explicar essa contradição de o site da bmw dizer que o 10W-60 é o óleo recomendado para TODOS os M3 fabricados até dezembro de 2013, inclusive o M3 Coupe 2012, contrariando o manual do proprietário.

O que a bmw precisa explicar é o motivo de os proprietários de autos com motor V8 estarem felizes da vida usando óleo 10W-60...

Por tudo isso, mantenho a denúncia:

Há todo um interesse em induzir o consumo de óleos inadequados para as temperaturas aqui no Brasil, e isso está custando caro para os proprietários que estão sendo lesados.

A próxima postagem será sobre a renault e o curioso "engano" de informar uma viscosidade de óleo mais correta no manual e as concessionárias colocarem óleo menos viscoso...

Ou seja, fazendo o mesmo que a bmw.

Um abraço,

Jeff envergonhado por ter deixado escapar essa gafe na postagem de ontem

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Motor projetado para óleo 30 não pode usar óleo 50 !!!!!! — Então avisa a BMW que ela não está sabendo...

ALERTA:

Depois da publicação, encontrei alguns erros nas informações divulgadas, que serão corrigidos na postagem posterior a esta.

O leitor Victor Garcia esclarece vários pontos nos comentários.

Então leia o assunto com as devidas ressalvas e aguarde a revisão que será publicada assim que eu terminar de revisar BEM para não cometer mais nenhum erro em relação a este assunto.

Sabe aquele papo que a gente ouve muito quando fala de óleo de moto?

"Os novos motores foram projetados para usar óleo 10W-30, as passagens de óleo são estreitas demais para o 20W-50."

"Você precisa usar o óleo genuíno desenvolvido especialmente pela fabricante, senão vai estourar o motor."

"O novo óleo menos viscoso original de fábrica é o único que garante a maior proteção e vida mais longa para o seu motor."

"É loucura colocar um óleo mais grosso que o recomendado pelo fabricante, eles sabem o que fazem."

Você certamente já ouviu essas estórias.

Bom, nem tudo aí em cima é só estória.

Afinal, os fabricantes sabem muito bem o que fazem.

Constroem máquinas fantásticas de alto desempenho como esta aqui, por exemplo:
Imagem: http://www.bmw.com.br/pt/all-models/m-series.html

É um bmw (a pronúncia correta é bê-eme-) Série M seguido de alguns números.

Tem várias séries, esse aí de cima é um Série M6xx.

Mas também tem a Série M3 (os comuns 318i, 325i, etc.), a Série M5, etc. e tal.

Sabe porque os carros bmw dessas séries M são tão interessantes para este blog?

Porque durante vários anos todos os seus manuais de proprietário mandaram usar uma viscosidade de óleo — enquanto a fábrica até hoje manda usar outra, ou usa outra apenas na concessionária (ou usava, já que esses modelos já saíram de linha.)

Ué, mas o manual do proprietário e a fábrica não deveriam dizer a mesma coisa?

Pois é, né? Quem diria...

Nem seria um caso inédito, aqui no Brasil a renault cometeu um engano parecido, mas agora está serto:
Manual que engana: http://www.olhonooleo.com/single-post/2014/10/17/Manual-que-engana

(Esse caso da renault é tão pitoresco que merece uma postagem exclusiva...)

Para descobrir o que acontecia de estranho nesse caso dos motores da bmw eu baixei o manual de proprietário de vários modelos.

O que ocorre é o seguinte:

A bmw fabrica vários modelos com a mesma carroceria, mas usando motorizações diferentes. 

Então a bmw faz um único manual para atender a todos os modelos de uma mesma série, independente do tipo de motor:
Manual de proprietário bmw Série 5 ano 2010 página 240 https://www.bmwsections.com/docs/5series/

Tanto faz se o modelo usa um motor 6 em linha ou um V8, os dados fornecidos no manual do proprietário sobre o óleo lubrificante são os mesmos.

Atualização:

Eu errei nesse comentário.

Existem séries de motores com manual de proprietário específicos para os motores de alta potência.

Mas existe mesmo um caso de mudança de viscosidade do óleo entre os anos 2001 e 2002 para os mesmos motores, devido aos problemas de bronzinas e bielas comentados abaixo.

A discussão nos comentários e a postagem posterior a esta trazem esclarecimentos sobre o assunto.

Por exemplo, qual é a viscosidade de óleo recomendada no manual para todos os modelos Série M5 2010, independente da motorização?
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/5series/ página 213

manual diz somente que a viscosidade deve ser ajustada em função da temperatura ambiente, e dá as opções SAE 0W-40, 0W-30 ou 5W-30, 5W-40.

Não existe uma única palavra sobre o uso de óleos de quaisquer outras viscosidades além dessas três quatro em todo o manual, eu conferi. Valeu, Pedra!

E depois disso o manual afirma:

"Estes óleos podem ser usados para condução em todas as temperaturas externas."

Ué, mas não é uma contradição com o que foi dito na linha anterior, que precisava selecionar a viscosidade adequada em função da temperatura ambiente?

Se todos atendem, então porque uma tabela de seleção em função da temperatura?

Sim, é uma contradição; mas todo mundo passa por cima de detalhes pequenos como esse, tudo bem.

Então vamos fazer de conta que você acaba de comprar um bmw 2010 de segunda mão e está em busca do óleo certo para o seu motor.

Qual o melhor lugar para você buscar informações confiáveis fornecidas pelo próprio fabricante do carro? 

No manual do proprietário que vem no porta-luvas, claro!

Se procurar na internet, irá encontrar em fóruns as opiniões dos donos, e a maioria não foge do que está escrito lá, então a discussão fica só entre a marca X e a marca Y.

Aparece um único dono de bmw que diz que está usando óleo 20W-50, e todo mundo cai de pau e pua em cima dele, porque "o doido quer estragar o motor".

Se entrar no site da bmw do Brasil vai ser difícil encontrar um link para o manual do proprietário, pelo menos eu não achei.

Mas no site internacional da bmw você encontra todos os manuais dos últimos 20 anos para download.

Agora voltemos à sua bmw e vamos conferir seu manual em inglês... 

Como estamos no Brasil, e a viscosidade do óleo precisa ser selecionada entre as recomendadas SAE 0W-40, 5W-40, 0W-30 ou 5W-30, qual você escolheria?

Pelo critério de adequação à temperatura, você escolheria o mais viscoso, o 0W-40 ou 5W-40, certo?

Mas olha que legal o que a bmw diz em seu site sobre o único xxW-40 à venda no Brasil, o óleo 0W-40:
Imagem: Obtida originalmente em http://www.bmw.com.br/pt/topics/offers-and-services1/personal-services/oil_service.html

Então você, dono confuso da bmw 2010 de segunda mão, ao saber que não deve usar o óleo 0W-40 — apesar de o manual dizer que "todas as viscosidades recomendadas atendem a todas as temperaturas ambientes" e a viscosidade 0W-40 supostamente ser a recomendada para nossas temperaturas no Brasil — busca qual opção?

A outra recomendação do manual, certo?
Imagem: Obtida originalmente em http://www.bmw.com.br/pt/topics/offers-and-services1/personal-services/oil_service.html

Ah, agora sim...

O 0W-30 é recomendado para todos os automóveis bmw, sem exceções... você fica certo de que é o óleo certo para sua bmw no Brasil.

Afinal, foi a bmw quem disse.

E você lê aquela frase do manual que diz que todos "estes óleos podem ser usados para condução em todas as temperaturas externas" daí fica tranquilo, a bmw está dizendo que você pode usar esse óleo numa boa.

O manual diz para usar, o adesivo debaixo do capô diz para usar, você não quer se arriscar com outros óleos que a fábrica não recomenda, você seria um idiota se usasse outro óleo que não o 0W-30, certo?

Afinal você não quer se arriscar a danificar o motor do seu carro.

Mas você é um cara curioso e experimenta clicar naquela opção estranha no ninho, o 10W-60 — aquela que o seu manual nem fala que existe. 
Imagem: http://www.bmw.com.br/pt/topics/offers-and-services1/personal-services/oil_service.html

Eu achei bizarro a bmw oferecer um óleo desses, afinal 10W-60 é um óleo mais viscoso do que todos os outros usados em todos os outros carros.

Você só encontra no Brasil óleo SAE 25W-60 mineral recomendado para motores com alta quilometragem, como o shell Helix H3 e o Castrol GTX Alta Quilometragem. Sei disso porque uso na minha moto com alta quilometragem.

Notou o que está escrito no rodapé? 
Imagem: Obtida originalmente em http://www.bmw.com.br/pt/topics/offers-and-services1/personal-services/oil_service.html

O site da bmw no Brasil e em outros lugares do mundo diz que a Série M5, assim como as outras séries mencionadas, devem usar óleo sintético multiviscoso 10W-60.

Pois é, óleo sintético multiviscoso 10W-SESSENTA.

Sem fazer distinção nenhuma quanto ao motor ser de 6 cilindros ou V8 ou V10, o site diz que esse é o óleo para seu bmw dentro daqueles anos de modelos. 

Apesar de o manual de proprietário de todos os modelos Série M5, M3, M6 e Z8 mandar usar óleo muito, muito menos viscoso. 

Qual a pegadinha?
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/5series/ página 213

"Troque o óleo somente em sua concessionária bmw ou em uma oficina que trabalhe de acordo com os procedimentos de reparo da bmw com o pessoal treinado correspondentemente."

As concessionárias e oficinas autorizadas sabem que o 10W-60 se destina 'somente' a determinados motores — explico as aspas mais pra frente.

O proprietário que compra o carro de segunda mão não recebe essa informação oficialmente.

Se o dono anterior não falar, já era. Se comprar em revenda de usados seminovos, já era.

Na maioria das vezes o dono de um carro comprado fora da rede bmw fará as trocas de óleo fora da concessionária porque a máquina já está fora da garantia. 

Aí ele acaba obedecendo o manual do proprietário enganoso e as informações contraditórias do site oficial não ajudam...

E acaba induzido a usar o famigerado óleo 0W-30 em um motor que foi projetado e deveria estar usando óleo 10W-60.

Dica: Reduzir a viscosidade não dá certo, detona o motor.

SAE 10W-60 é um óleo ainda mais viscoso em alta temperatura (e também à temperatura ambiente) que o tão combatido e mal falado 20W-50 "tão grosso que não passa pelos dutos do motor"... 

Calma, leia até o final que a grande novidade está lá embaixo...

Mas as concessionárias bmw usam "óleo grosso demais" nos motores até mesmo lá no hemisfério norte, onde é mais frio...

Sabe por quê?

Para aguentar o tranco.

Somente um óleo suficientemente viscoso consegue dar boa vida útil para um motor de alto desempenho duramente exigido...

Se não tiver a viscosidade adequada, o motor superaquece, queima junta, empena cabeçote, funde, quebra biela, estoura a carcaça...

E os clientes não gostam quando isso acontece.

— Magina, que absurdo! Nunca ouvi falar de motor bmw estourando! Só pode ser engano! É erro do site! É um perfeito blog desinformador! Um óleo grosso desses ia estourar qualquer motor! A bmw nunca ia fazer uma coisa dessas! Nunca vi óleo 60 em manual do proprietário nenhum, e tenho bmw! Óleo 60 é tão grosso que a bomba de óleo não aguenta! Não passa pelos dutos! Óleo grosso dá pressão no cárter! Estoura retentor! Quebra a carcaça! Dá urticária! Sapinho! Espinhela caída!...

Será? Será mesmo?

Não é erro de site não, essa informação está amplamente disseminada:
Tabela: http://carrorac.com/oleo-motor/bmw/6-series.html

Este site informativo sobre todos os motores diz que o óleo 10W-60 deve ser usado nos motores V10 S85B50.
Imagem: Motor bmw V10 S85B50 

E também nos motores de 6 cilindros em linha S54 da Série M3.
Motor bmw S54 6 cilindros em linha http://www.bmwblog.com/2008/12/31/bmw-m3s-32-liter-straight-six-engine-comes-to-an-end/
Tabela: http://carrorac.com/oleo-motor/bmw/3-series.html

Mas essa informação não consta no manual nem do 328i, nem do 335i.
Manual: https://www.bmwsections.com/docs/3series/

E o site da própria bmw não faz distinção quanto à motorização ser de 6, 8 ou 10 cilindros.

Você ficou confuso?

É porque você não leu a pegadinha do manual:
Manual: https://www.bmwsections.com/docs/3series/

"Óleos de motor especificados"   

"Sua concessionária pode aconselhar você quanto aos óleos de motor que foram aprovados pela fabricante de seu veículo."

A informação de que os motores V10, V8 e 6 em linha de alto desempenho usavam óleo 10W-60 era conhecida pelas concessionárias e proprietários de primeira mão que receberam a informação.

Mas além de o manual recomendar o uso de óleo xxW-30 ou 0W-40, debaixo do capô do motor tem uma gravação dizendo que o motor usa óleo 5W-30.

O inocente que caiu fora da rede autorizada e pegou um mecânico não treinado pela fábrica e que seguiu as instruções do manual ou da gravação de orientação no veículo... condenou seu motor.

Você recorreu a mecânicos fora da rede e caiu na arapuca. Quem armou?

O mecânico fora da rede não recebeu treinamento da fábrica, não foi informado que as informações no manual e a etiqueta no cofre do motor estão lá só para não deixar o espaço vazio.

Ou para atender às necessidades de proprietários que só usam o seu bmw para levar os filhos à escola e fazer compras no supermercado.

Ignorante disso, o mecânico fez a coisa errada e agora você terá de comprar as peças na concessionária ou então fazer o serviço por lá mesmo, se sentindo culpado pela besteira.

Você nunca poderá dizer que foi a fabricante que deu informações contraditórias e induziu os proprietários a erro. Nunca.

A culpa sempre será do proprietário... porque você que não obedeceu as instruções do manual. Seu otário, quem mandou ir em oficina não autorizada? Tosco...

Só que em tempos de internet isso gerou um efeito interessante:

Não só você, mas um monte de proprietários em todo o mundo ficaram confusos (e irritados) com essas informações contraditórias e seus motores estourando bielas, bronzinas, virabrequins e cabeçotes e blocos.

Lá no exterior muitos proprietários trocaram ideias e buscaram solução de modo civilizado.

Não aquelas brigas de torcida e marketeiros disfarçados de proprietários que a gente vê nos fóruns por aqui.

Dá uma lida nesta conversa deste fórum de proprietários norte-americanos de bmw Série M5 — aquela cujo óleo recomendado era o 5W30 ou o 5W-40, mas na verdade é o 10W-60.


São donos de bmw compradas zero km que fazem a manutenção em concessionárias e não estavam satisfeitos com seus motores:
Fórum: http://www.m5board.com/vbulletin/e39-m5-e52-z8-discussion/37511-finally-end-5w-30-vs-10w-60-oil-debate.html

Vou resumir os pontos principais:

"FINALMENTE, um fim para o debate do óleo 5W-30 versus 10W-60!"

O adesivo no compartimento do motor diz que o proprietário pode usar óleo 5W-30, que é o original de fábrica para os modelos no mercado dos EUA, conforme manual.

O proprietário mudou para o 10W-60 sem dizer como chegou a essa viscosidade — mas o fato de ser recomendado pela BMW no Brasil e outros países nos dá uma pista...

E o consumo de óleo que já havia diminuído depois do amaciamento de 10 mil milhas (16 mil km) se tornou praticamente nulo.


Mas ele mandou trocar o óleo novamente e se esqueceu de avisar que estava usando o 10W-60, e a oficina voltou a colocar o 5W-30 seguindo a determinação da etiqueta no compartimento do motor.


Agora textualmente:

"No entanto, na manhã seguinte durante a partida, eu notei mais ruído mecânico do que o costume. De fato, pelos primeiros 2–3 segundos, ele soou "seco" como ele faz logo depois que você troca o óleo e filtro e não pré-abastece o cartucho de óleo. Pode ser coisa da minha cabeça, mas eu também achei que o motor fez mais barulho de matraca quando dirigia moderadamente após o aquecimento. Ele ficou desse jeito por duas semanas."

Depois de ler outra discussão [do fórum] sobre como um de seus membros estourou uma biela e alguns suspeitavam de deficiência de lubrificação dos cilindros n° 7 e n° 8, eu retornei ao 10W-60. Bem, o motor imediatamente ficou mais silencioso, com menos ruído mecânico de matraca. A partida a frio agora é mais silenciosa, também. Nunca mais soou "seco".


Ainda por cima, eu lembro de ler que houve um lote de motores E46 M3 que estavam experimentando falha de bronzinas/mancais. A bmw posteriormente mudou sua recomendação de 5W-30 para 10W-60 para todos os motores E46 M3.


Este não é um estudo científico, é claro, e sua quilometragem pode variar, mas como resultado disto, eu continuo com o 10W-60 e não coloco mais o 5W-30. Para mim, pelo menos, o grande debate do óleo acabou."

  
Agora, olha só que interessante:

Todos os modelos M3 E46 da época citados na conversa usavam apenas o motor de 6 cilindros em linha:
Wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/BMW_3_Series_(E46)

Atualização da atualização:

Ao fazer a primeira atualização, fiz uma confusão dos diabos; vai dar um pouco de trabalho, mas vou esclarecer isto.

Em princípio, todas as denúncias estão válidas, mas os exemplos acabaram se misturando... 

Então só me resta pedir desculpas aos leitores pela salada que fiz, e vou reescrever a postagem com os dados e os exemplos corretos.

Não apagarei esta porque o que está dito, se for retirado, parecerá que estou renegando tudo que eu disse.

Não renego, porque em princípio as afirmações esão corretas e a denúncia permanece válida.

Atualização:

O bloco abaixo faz uma série de afirmações com base em uma premissa errada da minha parte: 

A de que a Série 3 compreendia os motores de alto desempenho.

Como foi esclarecido pelo leitor Victor Garcia, que entende muito bem desses motores:

O correto seria fornecer os dados de motores de alto desempenho que são identificados à parte no site da bmw como Série M.

Conforme alertado pelo leitor Victor Garcia, havia um manual específico para a Série M de alto desempenho.

Não vou riscar o que está escrito, mas a postagem posterior a esta esclarecerá definitivamente o assunto.

Mesmo porque, nada muda em relação ao essencial:

Os motores da Série M de 2001 usavam exatamente a mesma recomendação de óleo, portanto tudo que é dito aqui permanece válido.

Esta tabela publicada originalmente abaixo é dos modelos de baixo desempenho:
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/3series/ bmw Série 3 Sedan 2001 página 192

E não há nenhuma menção ao tipo de motor de alto desempenho S54 que deveria usar o óleo 10W-60.

Nem poderia haver pelo motivo exposto acima. 

Ou melhor dizendo:

O manual de proprietário da Série M3 não menciona em lugar algum que esse motor de alto desempenho S54 que equipava a família E46 deveria utilizar óleo SAE 10W-60 — apenas óleo 5W-40 e 5W-30, veja o manual abaixo.

Nem precisava, já que aquele manual não compreendia um motor de alto desempenho que tem manual próprio.

Mas a tabela para os motores da Série M 2001 correta é esta aqui:
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/3series/ bmw M3 Convertible 2001

E independente do desempenho ser alto ou baixo, a parte de bloco e cárter dos motores 6 em linha era a mesma com as mesmas galerias de óleo que supostamente seriam exclusivamente para óleos menos viscosos 5W-40 e 5W-30 — agradeço a dica do leitor Victor Garcia!

Este assunto será esclarecido na postagem posterior a esta.
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/3series/ bmw Série 3 2001 Sedan página 140

Este manual não é de um Série M3 2001, mas de um modelo Sedan que não usava motor de alto desempenho de 333 hp.

Segue a página correta:
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/3series/ bmw M3 Convertible 2001

Pois é, é a mesma coisa, mesma recomendação de óleo.

Então qual a desculpa para mudar a especificação do óleo?

Como a bmw diz na seção de óleos de motor especificados:

"Baseada em testes extensivos, a bmw aprovou somente determinados tipos de óleo."

Mas os motores estavam sendo abastecidos pelas concessionárias norte-americanas com óleo 5W-30 estavam estourando — então a bmw mudou a recomendação do óleo para 10W-60...

O 10W-60 era um dos óleos testados e aprovados, mas essa informação não foi aberta ao público...

Motores estourando são bons para os negócios, né?

Nem todo mundo vai estourar o motor, somente quem exigir um pouco mais do carro ou rodar o suficiente para o carro sair da garantia, aí a culpa é sempre do mau uso do proprietário.

Eu também baixei o manual do proprietário de um Série M5 2001 para ver a especificação que os proprietários comentaram no fórum americano, olha o que encontrei:
Manual de proprietário: https://www.bmwsections.com/docs/5series/

Na verdade, pesquisei vários manuais dentro daquela faixa de anos de modelos e não encontrei nem mesmo um único manual de proprietário recomendando o uso de óleo 10W-60.

A decisão da bmw de passar a usar óleo 10W-60 nesses motores aparentemente foi posterior à criação do projeto usando 5W-40 e 5W-30...

A bmw colocou "óleo grosso capaz de estourar o motor" em motores projetados para trabalhar com óleo fino a fim de impedir que os motores continuassem estourando...

A informação chegou aos proprietários nos EUA por outro caminho que não ficou registrado — pelo menos, oficialmente não encontrei nada publicado.

Arrisco dizer que tudo isso só foi descoberto por conta de conversas com funcionários de concessionárias. 

Sabe aquela conversa de quem está pulo da vida porque o motor do carro novo estourou e o pessoal não tem mais o que dizer e acaba entregando a informação do novo óleo? Pois então.

A gente só fica sabendo que isso rolou por lá porque o assunto foi comentado em fóruns — na grande mídia nadica de nada, informação nenhuma. 

Aliás, descobri que mudar para um óleo mais viscoso depois que o veículo é lançado parece ser uma prática meio que recorrente lá na bmw:
Fórum: http://f800riders.org/forum/showthread.php/112313-BMW-Changing-Oil-Viscosity-for-F-bikes

Por que a bmw mudou o tipo de óleo?

Por causa da chuva de reclamações como esta aqui:


É só fazer uma pesquisa sobre bmw F800 e aparece um monte de comparações e reclamações desse tipo anteriores à mudança para o óleo mais viscoso.

Quais as reclamações?

Ruído mecânico, motor parecendo "seco", barulho de matraca, motor estourando... mesmos sintomas, mesma causa... óleo de viscosidade incorreta.

Problema corrigido pela fabricante fazendo o que deveria ter feito antes do lançamento da moto:

Usar um óleo de viscosidade adequada não só à temperatura ambiente, mas ao regime de trabalho exigido do motor.

A conversa entre os proprietários de carros da Série M prossegue, e outro proprietário comenta:
Fórum: http://www.m5board.com/vbulletin/e39-m5-e52-z8-discussion/37511-finally-end-5w-30-vs-10w-60-oil-debate.html

"Acho que chegamos ao ponto onde, se você dirige com o pé embaixo ou em alta velocidade durante muito tempo – como em uma pista de corrida – ou visita regularmente o limitador de giros, é preferível usar o óleo 10W-60. Se o carro é usado para condução diária, ou para saídas aos fins de semana em dias de sol, o 5W-30 provavelmente é satisfatório (...)

Em todos os casos, o óleo deve ser trocado MUITO mais frequentemente do que as luzes [de advertência do painel] indicariam.


Isso se chama bom senso.

Esse segundo proprietário passou a usar o 10W-60 na revisão de 1.200 milhas (nossa revisão de 2.000 km) e faz as trocas a cada 3.000 milhas (4.800 km).

Lembrando, a rotação máxima desses motores é inferior a 7 mil rpm.

Nas motos, a diversão começa aos 7 mil rpm — o óleo é muito mais exigido e por isso não dá para rodar a mesma coisa que um carro.

O proprietário explica que a quilometragem é baixa porque ele roda pouco, mas volta e meia pega o carro para correr em pista.  

Mas o mais interessante é o que ele diz na linha verde:

Note que o uso de óleo 5W-30 é recomendado [pela bmw] somente nos EUA, também o único lugar (até onde eu sei) onde a BMW paga pela manutenção rotineira pelos primeiros 3 anos / 36.000 milhas (58 mil quilômetros).


Olha só que interessante...

Em termos de durabilidade do motor, 60 mil km para um carro é mais ou menos a mesma coisa que uns 20 mil km para uma moto... 

Depois disso, depois do fim da garantia, o que acontecer sai do bolso do dono... 

Se essa informação estiver correta, que coisa estranha, não? Lembrou de alguma fabricante de motos? Todas elas? 

Eu sempre soube que a viscosidade do óleo era ditada por critérios de temperatura ambiente da região de utilização, um parâmetro de engenharia...

Será que para a bmw a viscosidade do óleo também é determinada por critérios de marketing?

Tem mais um exemplo interessante extraído dessa conversa do fórum americano:
Fórum: http://www.m5board.com/vbulletin/e39-m5-e52-z8-discussion/37511-finally-end-5w-30-vs-10w-60-oil-debate.html

Ah, esse admirável mundo novo em que vivemos...

Se os consumidores não descobrem os macetes, o pessoal deita e rola vendendo peças, motores e carros novos...

Quem viveu na época da liberação das importações nos anos 1990 se lembra da epidemia de motores bmw estourando com baixa quilometragem.

A desculpa que se deu então era que a culpa era da gasolina brasileira.

Até eu acreditei e reproduzi essa versão aqui no blog.

Eu ainda não sabia dos motores pipocando nos Estados Unidos...

Quando escrevi a postagem, ainda não tinha lido o comentário postado no Jalopnik (quando ouvi falar e procurei na internet, só vieram links de vídeos falando mal desta postagem, talvez por causa da chulice do título):
Reportagem: http://thegarage.jalopnik.com/bmw-engines-are-gigantic-pieces-of-shit-1784684330

Tradução:

"Motores bmw são gigantescos pedaços de навоз".

E lá são comentados vários problemas de vários motores bmw, muitos deles relacionados a connecting rod bearings - bronzinas de bielas.

A Série M3, a mais popular no Brasil, tem grande destaque:
Reportagem: http://thegarage.jalopnik.com/bmw-engines-are-gigantic-pieces-of-shit-1784684330

"Os motores eram atormentados (ou infestados) com quebras falhas de bronzinas de bielas..."

— Ah coitada da bmw, então a culpa é do fabricante da biela bronzina, não dela...

Não, meu caro amiguinho ingênuo e sem malícia...

A biela e a bronzina sempre levam a culpa pela má lubrificação que causa superaquecimento e travamento do motor com / por causa do rompimento da biela / derretimento da bronzina.

Sem boa lubrificação, os componentes fazem mais esforços do que o projetado, em uma temperatura acima da qual deveriam estar trabalhando.

Tanto é que o problema foi resolvido com a adoção de óleo 10W-60.

Mas a informação ventilada para o público é que o problema só acontece por culpa dos donos que forçam demais o motor, são desleixados — mesmo sendo clientes de concessionária fazendo todas as revisões.

O que é divulgado é que esse óleo se destina somente aos motores V8, V10 e 6 em linha de alto desempenho — quando na verdade a montadora usa sempre que o calo aperta e a coisa ameaça ficar muito feia para as vendas.

Sim, aquela informação inicial no início da postagem também está errada. 

Mas é isso que é informado para quem se interessa pelo assunto aqui no Brasil.

No exterior dá um pouco mais de trabalho enrolar os consumidores.

Como lá fora não tem a desculpa da gasolina brasileira e o governo americano cai em cima de fabricantes que pisam na bola, eles são obrigados a resolver os problemas — desde que ganhem notoriedade.

Se não aparecerem muitos problemas, fica tudo por isso mesmo. 

Enquanto isso, aqui no Brasil...
Imagem e reportagem: http://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/sinais-de-fumaca/
Imagem: http://www.carrosnaweb.com.br/opiniaolista.asp?fabricante=BMW&modelo=320I

Tudo sintoma de motor mal lubrificado por óleo fino demais para a aplicação...

Mas sabe qual a explicação que a tchurma dá?
Imagem e reportagem: http://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/sinais-de-fumaca/

Os mecânicos dizem que "os retentores das válvulas se ressecam e precisam ser substituídos" porque "não aguentam a temperatura e a gasolina do Brasil" — será que essa informação chega da fábrica para eles?

Eu acredito no que os mecânicos dizem — afinal, quem é que iria contestar a autoridade da própria fabricante e dizer que o problema está no óleo inadequado recomendado pela fábrica? Fora eu?

Quem imaginaria que os engenheiros testaram o óleo 10W-60, mas não recomendam, a menos que o excesso de motores estourando ameace a imagem da empresa de ficar respingada pelas queixas dos consumidores? Nem eu imaginava isso...

Já a fábrica diz que é desleixo e mau uso por parte do dono — como sempre, claro. 

Nunca é porque a fábrica e as concessionárias recomendam e colocam o óleo com a mínima viscosidade possível a fim de parecer que seus carros são econômicos... nunca.

Nesse meio tempo o problema está na mão do proprietário e a concessionária o convence a comprar outro modelo da mesma marca — que usa o óleo de sempre, claro — dando a sucata como entrada.
Imagem: https://www.amazon.com/Plucked-Sitting-Ducks-Danielle-Mentzer/dp/0843110759 — É a estória de um pato que perde as penas e não sabe como foi depenado. Nada a ver com o assunto da postagem, mas imagino que esse seja o sentimento de um proprietário que levou seu carro a uma oficina fora da rede autorizada bmw. 

Mas se o mercado for grande e importante para as vendas, como o dos EUA, e o pessoal reclamar muito, a fabricante e as concessionárias mudam a recomendação do óleo para aquele modelo sem tornar isso público, sem recall, sem fazer barulho.

Afinal, o óleo 10W-60 é um dos "determinados tipos de óleo" que a bmw, baseada em testes extensivos, aprovou.

Aprovou, mas não recomendou publicamente...

Quem levar o carro para trocas de óleo na concessionária, se não reclamar, recebe o óleo fino.

E você que não quis levar seu carro para trocar o óleo na concessionária, problema seu — a fabricante não tem compromisso nenhum contigo.

Nem se sente na obrigação de convocar recalls ou alterar as informações publicadas... 

Então não se esqueça:

Se você comprar um bmw de segunda mão, seja carro ou moto, não leve o manual do proprietário ao pé da letra — pode ter alguma informação importante faltando.

E se depois de ler tudo isso você optar por usar um óleo mais viscoso no seu carro ou moto, seja bmw, seja honda, seja etc., prepare-se para ouvir um monte de coisas por usar esse óleo que "certamente vai estourar seu motor".

Capaz até de você ganhar umas inimizades...

Reflita sobre como funciona esse mercado automotomotivo e como tudo isso pode se aplicar — ou não — à sua moto, e seja feliz com ela.

Um abraço, 

Jeff, o dono da Kansas que roda com óleo de mesma viscosidade que os carros da bmw.